SAÚDE NÃO É MERCADORIA – OPP/UFC, GT Saúde da ADUFC e Coletivo Rebento promovem debate sobre escândalo de planos privados

Fonte: ADUFC SINDICATO

Fonte: ADUFC

Especialistas renomados da área da saúde, economia e políticas públicas participaram, na última terça-feira (19/10), de uma mesa-redonda transmitida online sobre um tema que vem ganhando evidência nacional nas últimas semanas: as práticas anticientíficas e antiéticas envolvendo pacientes com Covid-19 atendidos em unidades privadas de saúde. Intitulado “Escândalo dos planos de saúde e privatização do SUS”, o debate foi promovido pelo Observatório de Políticas Públicas (OPP) da Universidade Federal do Ceará (UFC), em parceria com Grupo de Trabalho (GT) Saúde da ADUFC-Sindicato e o Coletivo Rebento de Médicos em Defesa da Vida e do SUS.

A conversa foi conduzida pelo coordenador do GT Saúde e diretor da ADUFC-Sindicato, Prof. Roberto da Justa. “É um debate muito importante, diante das denúncias que surgem a cada dia”, destacou ele, que é, ainda, docente da Faculdade de Medicina (FAMED) da UFC e integrante o Coletivo Rebento de Médicas e Médicos em defesa da vida, da ciência e do SUS. A necessidade de pautar o tema é justificada, também, pelo tamanho das operadoras de planos de saúde privados no Brasil: são 48 milhões de pessoas beneficiárias, sendo mais de 1 milhão delas apenas no Ceará.

Participaram da mesa-redonda também quatro especialistas: Prof. Fernando Pires, do DTE/FEAAC e das pós-graduações em Avaliação de Políticas Públicas da UFC, onde também coordena o OPP; Liduína Rocha, médica obstetra e integrante do Coletivo Rebento; Rômulo Paes, médico epidemiologista, pesquisador da Fiocruz-MG e vice-presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO); e Arruda Bastos, médico sanitarista e oncologista, ex-secretário da Saúde do Ceará e membro da Coordenação Executiva da Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia (ABMMD). 

Dentro da temática da condução do enfrentamento à pandemia de Covid-19 no Brasil, Rômulo Paes destacou erros procedimentais que ele julgou “graves”. Há, segundo o vice-presidente da ABRASCO, uma vasta lista de equívocos cometidos, “alguns de forma deliberada”. Os resultados, ainda de acordo com o médico, podem ser observados no dia a dia. “Mas essa ‘grande máquina’ que produziu óbitos e sequelas  tem presença e histórico mais longos”, ponderou. Paes lembrou que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, que teve seu relatório final lido esta semana, “permitiu que pudéssemos compreender determinados mecanismos de um uso dessa presença no mercado de forma criminosa”. Ele salientou que isso foi praticado no Brasil, mas não de forma isolada.

Arruda Bastos apontou que o negacionismo e as tentativas do setor privado interferir no sistema público de saúde já existia antes mesmo da pandemia de Covid-19. O médico participou, inclusive, da luta pela criação do Sistema Único de Saúde (SUS). Ele relembrou que as operadoras de plano de saúde não tinham regulamentação e que, apenas em 1983, “alguma coisa na área de proteção” surgiu, referindo-se aos programas estaduais de defesa do consumidor (Decons), vinculados aos Ministérios Públicos Estaduais. E que só em 1990, com a lei que instituiu o Código de Defesa do Consumidor (CDC), se passou a ter mais controle sobre a atuação das operadoras. Foram muitos anos sem regulamentação, de fato, até o surgimento da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), no ano 2000. “Mas nada está tranquilo”, enfatizou Arruda, lembrando a relação entre agentes da ANS com grupos políticos.

Saúde e proteção social apropriadas por interesses econômicos

Continuar lendo SAÚDE NÃO É MERCADORIA – OPP/UFC, GT Saúde da ADUFC e Coletivo Rebento promovem debate sobre escândalo de planos privados

capitalismo de livre mercado (parte ii) por prof. aécio alves

O OPP divulga algumas reflexões do Professor Aécio Alves de Oliveira, do Curso de Economia Ecológica, sobre as relações entre Natureza, sociedade e o sistema do capital. Como ele salienta, sua análise aponta para as insuperáveis limitações da economia capitalista de livre mercado, ou de comando central, em promover democracia, liberdade e bem-estar econômico e social para toda a humanidade. A irrevogável lei da entropia é a limitação fundamental que expõe a verdadeira (absoluta) escassez para a economia.

Dando prosseguimento às reflexões da Parte I, publicada aqui no OPP, o professor Aécio aprofunda consequências do livre mercado e elabora sobre alguns aspectos relacionados à necessidade da emancipação da dominação que se introjeta insidiosamente nas mentes e corações da humanidade. Assim, são apresentados outros argumentos críticos que servem de base para mostrar a necessidade urgente de a humanidade pensar e realizar outra economia e outro ambiente social que tenha a ética da vida como centralidade. Bom proveito!”

Postado por: Vanessa Andrade

Postado em: 06/08/2021

Parques eólicos destroem plantações, criação de animais e forçam agricultores para êxodo rural

Famílias agricultoras do agreste pernambucano relatam infertilidade de animais, mortes e desaparição de espécies nativas

Autor: Vinícius Sobreira

Fonte: Brasil de Fato

Atualmente existem 33 parques eólicos em funcionamento no Estado de Pernambuco e quatro estão em fase de instalação – Vinícius Sobreira/Brasil de Fato

Em 2016, com a instalação de parques eólicos nos municípios de Caetés, Venturosa, Pedra e Capoeiras, todos no agreste meridional, região semiárida de Pernambuco, dezenas de famílias rurais achavam que a atividade que era propagandeada como uma energia “limpa, sustentável e sem impactos ambientais” poderia ser uma boa fonte de renda com pagamentos entre R$ 1.500 e R$2 mil por cada aerogerador instalado. 

Cinco anos depois, o cenário é desolador: Noites em claro, antidepressivos e casas destruídas fazem parte da rotina das famílias, que também tem visto a produtividade da terra cair junto com o aumento da mortalidade das criações de caprinos, suínos, aves, ovinos e outros animais que dividem território com os aerogeradores.

Desde agosto deste ano, uma comitiva formada por entidades, movimentos sociais e sindicais e parlamentares está visitando as áreas de parques eólicos no agreste do Estado para ouvir depoimentos de agricultores e agricultoras familiares sobre os impactos desses grandes empreendimentos na vida dessas famílias. O Brasil de Fato Pernambuco acompanhou uma dessas visitas, que deram base a uma série de duas reportagens sobre as consequências da instalação de parques eólicos na saúde das famílias, na produção e no meio ambiente.

Leia também: Noites em claro, antidepressivos e casas destruídas: o drama de famílias nos parques eólicos

Além dos impactos na saúde física e mental e até na estrutura das casas, outro impacto relatado por todos os entrevistados foi na produção de suas criações de animais. Claudivânia Salgado, 42 anos, agricultora, conta que nos últimos anos “os animais ficam estressados, diminuíram a produção de leite [de vaca] e de ovos [de galinha]. A galinha sai do ninho antes da hora, não choca os ovos o tempo necessário, os ovos goram”, diz ela, que também percebeu que a sombra das hélices se movendo no chão assusta os animais.

Pai de Claudivânia, o também agricultor Simão Salgado, 73 anos,  sentiu diferenças em todas as criações do seu sítio, na divisa entre Caetés e Venturosa. “Caiu a produção de leite e também tive uma grande perda de filhotes de ovelha. As mães parem e abandonam. Criei cinco na mamadeira. Fora os abortos, por causa do estresse dos animais”, lamenta o agricultor. A criação de galinhas também reduziu. “Agora, de 18 ovos, só dá 4 pintos. Outros agricultores estão com o mesmo problema”, relata. O barulho também tem afetado outras espécies da caatinga. “Aqui tinha muita abelha nativa e eu pretendia fazer apiário, mas agora elas desapareceram, não querem viver aqui por causa desse ruído”, avalia.

O sítio de Simão é uma referência de agroecologia na região Agreste de Pernambuco, mas com o impacto dos geradores na saúde de sua esposa e na produção, ele decidiu ir morar na cidade. Deve se mudar nos próximos meses. Ele pretende ficar indo ao sítio diariamente, tentando manter a estrutura agroecológica construída ao longo de 13 anos, mas o tempo de dedicação é diferente quando não se vive mais no local. “A gente se desanimou. Não sou de desistir, mas não sei se vou conseguir manter”, lamenta.


Agricultores afirmam que o barulho dos aerogeradores perturba também os animais, que tem vivido e produzido menos / Vinícius Sobreira/Brasil de Fato

O agricultor João Araújo observa que seu gado “fica se assustando, não se adaptou a esse barulho. E as galinhas um bocado morreram”. O que sobreviveu, ele vendeu antes que perdesse todos. Maria Neuma criava porcos. “Eu tinha muitas porcas parideiras, mas elas começaram a abortar ou a comer os filhotes”, diz ela. “Só continuo aqui porque não tenho dinheiro para comprar outro terreno e ir embora. Nossas terras perderam o valor”, conta ela.

Continuar lendo Parques eólicos destroem plantações, criação de animais e forçam agricultores para êxodo rural

Dívida ativa com Estados e DF soma R$ 896,2 bilhões; conheça os devedores…

Fonte: PODER360

Dívida ativa
Fonte: PODER360

Um levantamento encomendado pela Fenafisco (Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital) divulgado nesta 5ª feira (21.out.2021) mostra que a dívida ativa das empresas com os entes federados soma R$ 896,2 bilhões.

De 2015 a 2019, o montante sob administração das procuradorias gerais dos Estados ou das secretarias de Fazenda aumentou 31,4%. Os valores devidos pelas empresas aos estados totalizam 13,18% do PIB nacional.

Em 2016, foram recuperados R$ 4 bilhões. Em 2017, o montante pago chegou a R$ 5,1 bilhões. A média nacional de recuperação da dívida ativa estadual fica em torno de 0,6%.

Em 14 Estados, a dívida ativa supera a arrecadação anual com o recolhimento de impostos. Os estoques acumulados do Distrito Federal e Rio de Janeiro equivalem a mais de 200% da arrecadação, enquanto o Mato Grosso quase supera 300%.

Segundo o estudo, as empresas que acumulam as maiores dívidas também recebem isenções fiscais em suas áreas de atuação.

“O estudo é revelador e alarmante. É necessária uma política séria para recuperar os montantes devidos e investimento na estrutura das carreiras vinculadas ao fisco. É inaceitável que as empresas devam quase R$ 1 trilhão aos cofres públicos, enquanto o país enfrenta dificuldades para financiar uma renda básica de R$ 400 para famílias que passam fome”, afirma Charles Alcantara, presidente da Fenafisco.

Segundo a entidade, caso o valor da dívida fosse recuperado, seria possível pagar o Bolsa Família por 11 anos no valor de R$ 400 aos mais vulneráveis.

De acordo com o doutor em economia Juliano Goularti, coordenador do estudo, o Atlas da Dívida dos Estados Brasileiros reuniu dados dos 1.000 maiores devedores de 17 unidades Federativas.

Dez Estados negaram as informações. “Mesmo com a obrigatoriedade de dar transparência aos dados, as informações não foram divulgadas. A dívida ativa tributária não envolve sigilo fiscal, essa divulgação é obrigatória”, comenta Goularti.

Saiba quais são as 10 maiores devedoras:

Continuar lendo Dívida ativa com Estados e DF soma R$ 896,2 bilhões; conheça os devedores…

CLIPPING NOTÍCIAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS – 18/10/2021 à 24/10/2021

Observatório de Políticas Públicas

OPP/UFC divulga semanalmente notícias nacionais e internacionais para inscritos no site do Observatório.
A ideia é contribuir com a democratização das informações sobre tais políticas e assim contribuir para o controle social e a formação cidadã.

Para receber a lista atualizada de publicações é necessário se inscrever no endereço https://oppceufc.wordpress.com, no espaço SEGUIR BLOG VIA E-MAIL.

Nacionais 

Rogério Marinho topa o sacrifício de substituir Guedes se for o caso – 22/10/2021

https://www.metropoles.com/blog-do-noblat/ricardo-noblat/rogerio-marinho-topa-o-sacrificio-de-substituir-guedes-se-for-o-caso

Barroso convida presidentes de todos os partidos para fiscalizar urnas – 22/10/2021

https://www.metropoles.com/colunas/guilherme-amado/barroso-convida-presidentes-de-todos-os-partidos-para-fiscalizar-urnas

Após queda em 2020, adoções de crianças crescem 11,9% neste ano – 22/10/2021

https://www.metropoles.com/brasil/apos-queda-em-2020-adocoes-de-criancas-crescem-119-neste-ano

Brasil pode ter teste de rim de porco para humano em 2 anos – 22/10/2021

https://www.terra.com.br/noticias/ciencia/brasil-pode-ter-teste-de-rim-de-porco-para-humano-em-2-anos,8dbd18f9e1ebaa5bfd0d057d128b96c9i69xe8wm.html

O Brasil é um paraíso fiscal para os mais ricos, diz pesquisador – 22/10/2021

‘Piada de mau gosto’, diz líder dos caminhoneiros sobre auxílio diesel de Bolsonaro

Ministro da Educação cita Cuba e Venezuela para responder críticas da UNE – 21/10/2021

Notícias internacionais sobre o Brasil: especial relatório da CPI da Covid; e Artigos – 21/10/2021

https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Clipping-Internacional/Clipping-Mundo-21-10-2021/44/51910

Sérgio Camargo se intitula “Black Ustra”: “Vou torturar sim”, escreveu – 21/10/2021

https://www.metropoles.com/brasil/sergio-camargo-se-intitula-black-ustra-vou-torturar-sim-escreveu

Offshores – o separatismo dos grã-finos – 20/10/2021
Continuar lendo CLIPPING NOTÍCIAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS – 18/10/2021 à 24/10/2021

CLIPPING NOTÍCIAS REGIONAIS – 18/10/2021 à 23/10/2021

Observatório de Políticas Públicas

OPP/UFC divulga semanalmente notícias regionais para inscritos no site do Observatório.
A ideia é contribuir com a democratização das informações sobre tais políticas e assim contribuir para o controle social e a formação cidadã.

Para receber a lista atualizada de publicações é necessário se inscrever no endereço https://oppceufc.wordpress.com, no espaço SEGUIR BLOG VIA E-MAIL.

Prefeitura de Fortaleza

Câmara Municipal oferece serviço de emissão de Cartão do Idoso e Bilhete Único; agende o seu atendimento – 22/10/2021

Prefeito Sarto e governador Camilo lançam programa “Nossas Guerreiras” – 21/10/2021

Vereador de Fortaleza deve largar Wagner e apoiar FGs para virar deputado – 21/10/2021
Juizado da Mulher de Fortaleza incentiva doação de cabelos para pacientes com câncer e reforça a proteção e amparo ao público feminino – 20/10/2021

Prefeitura inicia construção do novo skatepark da avenida Beira Mar – 19/10/2021

https://www.opovo.com.br/noticias/fortaleza/2021/10/19/prefeitura-inicia-construcao-do-novo-skatepark-da-avenida-beira-mar.html

Câmara entrega o Título de Cidadã de Fortaleza à primeira-dama do Estado Onélia Santana – 19/10/2021

Moradores Coletam comida de caminhão de lixo – 18/10/2021

https://g1.globo.com/ce/ceara/noticia/2021/10/18/moradores-coletam-comida-em-caminhao-de-lixo-em-fortaleza.ghtml

Abrigo São Lázaro fecha para resgates de animais – 18/10/2021

Ceará

Continuar lendo CLIPPING NOTÍCIAS REGIONAIS – 18/10/2021 à 23/10/2021

CLIPPING PROJETOS DE LEI – 18/10/2021 à 22/10/2021

Observatório de Políticas Públicas

OPP/UFC divulga semanalmente projetos de lei para inscritos no site do Observatório.
A ideia é contribuir com a democratização das informações sobre tais políticas e assim contribuir para o controle social e a formação cidadã.

Para receber a lista atualizada de publicações é necessário se inscrever no endereço https://oppceufc.wordpress.com, no espaço SEGUIR BLOG VIA E-MAIL.

Ceará e Fortaleza

Comissão aprova projeto que disponibiliza teste genético para portadoras de câncer de mama e ovário – 21/10/2021

Projetos de incentivo aos pequenos empreendedores de Fortaleza são encaminhados para análise das Comissões – 21/10/2021

Comissões conjuntas e de Orçamento aprovam quatro projetos do Executivo – 19/10/2021

https://www.al.ce.gov.br/index.php/ultimas-noticias/item/97889-19102021conjuntas

Vereadora Larissa Gaspar propõe projeto que obriga condomínios a comunicarem casos de violência doméstica – 18/10/2021

Federal

Comissão aprova desconto de honorário advocatício diretamente de benefício previdenciário

Fonte: Agência Câmara de Notícias – 22/10/2021

https://www.camara.leg.br/noticias/819754-comissao-aprova-desconto-de-honorario-advocaticio-diretamente-de-beneficio-previdenciario/

Comissão aprova direito do jovem a ter informações sobre mecanismos de participação política

Fonte: Agência Câmara de Notícias

https://www.camara.leg.br/noticias/819737-comissao-aprova-direito-do-jovem-a-ter-informacoes-sobre-mecanismos-de-participacao-politica/

Comissão aprova distribuição domiciliar de merenda a alunos em sistema de ensino híbrido

Fonte: Agência Câmara de Notícias – 22/10/2021

https://www.camara.leg.br/noticias/819735-comissao-aprova-distribuicao-domiciliar-de-merenda-a-alunos-em-sistema-de-ensino-hibrido/

Comissão aprova aumento de pena para sequestro de criança e adolescente

Fonte: Agência Câmara de Notícias – 22/10/2021

https://www.camara.leg.br/noticias/819739-comissao-aprova-aumento-de-pena-para-sequestro-de-crianca-e-adolescente/

Comissão aprova projeto que obriga universidades a assegurar vagas de estágio para alunos

Fonte: Agência Câmara de Notícias – 21/10/2021

https://www.camara.leg.br/noticias/819028-comissao-aprova-projeto-que-obriga-universidades-a-assegurar-vagas-de-estagio-para-alunos/

Sancionada lei que proíbe sacrifício de cães e gatos saudáveis

Fonte: Agência Senado – 21/10/2021

Continuar lendo CLIPPING PROJETOS DE LEI – 18/10/2021 à 22/10/2021

Entrevista | “Aulas presenciais só podem acontecer com garantias de condições adequadas”

Presidente do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará falou sobre os desafios da classe

Fonte: Brasil de Fato

"Apoiamos hoje o ensino virtual até que todos os estudantes estejam vacinados com a segunda dose", diz Bruno Rocha, presidente da Adufc.
“Apoiamos hoje o ensino virtual até que todos os estudantes estejam vacinados com a segunda dose”, diz Bruno Rocha, presidente da Adufc. – Apeoesp

O Brasil de Fato Ceará entrevistou o professor Bruno Rocha, presidente do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (Adufc-Sindicato) para falar sobre a atual realidade desses profissionais diante dos desafios enfrentados em meio a pandemia do coronavírus como a volta às aulas presenciais e sobre as ameaças de cortes de direitos, como é o caso da PEC 32.

Brasil de Fato – Como você vê a luta das universidades públicas, sobretudo as universidades do nosso estado que a Adufc também representa nessa conjuntura atual, e em que ponto estamos nesse contexto?

Bruno Rocha – Bem, a luta das universidades tem sido bem árdua nos últimos tempos. Primeiro, desde a Emenda Constitucional – EC 95, que estabeleceu o teto de gastos e definiu vinte anos de congelamento nos investimentos em saúde e educação, por exemplo. Então isso tem inviabilizado qualquer tipo de melhoria na universidade, uma vez que o orçamento de custeio da universidade tem caído sistematicamente desde 2015, muito em função dessa Emenda Constitucional e, obviamente, dois governos que vieram após o golpe, que trouxeram essa perspectiva de desprezo pela educação, de falta de investimento em ciência e tecnologia e ignorando completamente a importância desses dois aspectos no desenvolvimento do país.

Então esse é o primeiro ponto, e isso se agrava no governo Bolsonaro, com o Ministério da Educação criando uma espécie de ódio indiscriminado às universidades e professores; a busca do Ministério da Economia de retirar diretos e reduzir salários dos docentes, cortando cada vez mais o orçamento da educação e da pesquisa; o governo negacionista que não se importa com a principal fonte de criação, de formação e de desenvolvimento científico e tecnológico que são as universidades públicas.

Então estamos nesse cenário bem conturbado e difícil. Estamos lutando contra a reforma administrativa, que tenta privatizar os serviços públicos como um todo. E aí, incluído entre eles, as universidades e a educação básica também. São lutas bem difíceis e isso tudo culmina nessas últimas notícias que a gente tem dos cortes absurdos, ainda mais da ciência e tecnologia, que resumiram o orçamento de ciência e tecnologia no Brasil a um valor menor do valor menor daquele gasto por Bolsonaro no seu cartão corporativo, que é um grande absurdo.

O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, durante apresentação do programa “Future-se” / Marcelo Camargo/Agência Brasil
Continuar lendo Entrevista | “Aulas presenciais só podem acontecer com garantias de condições adequadas”

Médicos cobram do Conselho de Medicina posicionamento e fiscalização sobre uso de ‘kit Covid’ no CE

Profissionais alegam que medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19 continuam sendo prescritos em operadoras de saúde do Estado

Fonte: Diário do Nordeste

Médicos reunidos no Conselho Regional de Medicina (Cremec).
Foto: Divulgação/Jean dos Anjos

Um grupo de médicos entregou nesta quarta-feira (20) à presidência do Conselho Regional de Medicina (Cremec) uma carta cobrando do órgão posicionamento públicofiscalização e apuração de responsabilidades sobre o uso do chamado “kit Covid” no Ceará.  

Segundo os profissionais que integram o Coletivo Rebento em Defesa da Vida, da Ciência e do SUS, a Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia (ABMMD) e a Rede Nacional de Médicos Populares/Ceará (RNMP), o Conselho Federal de Medicina (CFM) seria “cúmplice” da adoção de “práticas anticientíficas e antiéticas envolvendo pacientes com Covid-19″ no momento em que estimula o uso do combo de medicamentos sem eficácia contra a doença.

Diário do Nordeste tentou contatar o Cremec para questionar o órgão sobre as cobranças feitas pelos médicos, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria. 

CASO HAPVIDA 

Para os médicos que assinam a carta, a má conduta do conselho federal repercute diretamente no Estado. “Apesar de inúmeros alertas feitos por médicos, pesquisadores, sociedades de especialidades e entidades comprometidas com a ciência e com a vida, o uso indiscriminado de medicamentos ineficazes como profilaxia ou tratamento da Covid-19 foi e continua sendo promovido principalmente por instituições de saúde privadas”, escreveram.

Caso, por exemplo, do plano de saúde Hapvida, que foi citado na CPI da Covid-19, no Senado Federal, como uma das operadoras que obrigavam médicos a prescreverem medicamentos do ‘kit’.

“O CFM e os Conselhos Regionais são ao mesmo tempo órgãos julgadores e disciplinadores da classe médica, cabendo-lhes zelar e trabalhar, por todos os meios ao seu alcance, pelo perfeito desempenho ético da medicina e pelo prestígio e bom conceito da profissão e dos que a exerçam legalmente”, cobra o documento.

UNIMED

A carta destaca também que a cooperativa Unimed Fortaleza, que atua em 24 cidades cearenses, também induziu o uso do ‘kit’, tendo distribuído em torno de 30 mil unidades.

Em nota, a empresa afirmou que respeita a autonomia médica na definição do melhor tratamento para os pacientes e que “jamais determinou a seus profissionais qualquer conduta clínica preestabelecida”.

Continuar lendo Médicos cobram do Conselho de Medicina posicionamento e fiscalização sobre uso de ‘kit Covid’ no CE

‘Eles perguntam pela mãe direto’: Ceará tem 5,6 mil crianças e adolescentes órfãos da Covid-19

Fonte: Diário do Nordeste

A estimativa é baseada em estudo da revista científica The Lancet. Rastro de ausências deixado pela pandemia exige ações assistenciais profundas e a longo prazo

Criança sozinha na janela
Foto: Shutterstock

Em 24 horas, Alana e Alan ficaram órfãos. Dois de uma vez. Ela aos 9, ele aos 4. A Covid levou a mãe embora tão rápido que o vazio ainda preenche a despedida – eles ainda perguntam por Rosana Pereira, 31, enquanto se juntam aos cerca de 5,6 mil crianças e adolescentes do Ceará que perderam pai, mãe ou os dois na pandemia.

A estimativa é da Câmara Temática de Assistência Social do Consórcio Nordeste, baseada em estudo da revista científica The Lancet, que estimou uma multidão de 113.150 brasileiros e brasileiras cujos pais morreram de Covid entre março de 2020 e abril de 2021. Se considerados avôs e avós tutores, o número sobe para 130.363 órfãos.

Órfãos da Covid-19 no Nordeste
Ceará é 2º com mais meninas e meninos que perderam pai, mãe ou ambos

No Brasil, são mais de 130 mil órfãos

“A gente pensava que era uma virose, mas deu uma pneumonia, ela foi pra UPA com dor nas costas e não voltou mais. Chegou lá 10h, 11h já tava intubada. Morreu com 24 horas”, relembra a mãe de Rosana, a dona de casa Maria de Lourdes Pereira, 63, agora responsável pelos netosEles perguntam por ela direto, sentem muito, sofrem, choram. Eles estão indo pro colégio, faço todo sacrifício. O que precisar eu faço por eles. Só não dou vida boa porque não tenho emprego.MARIA DE LOURDES PEREIRAAvó de Alana e Alan

Continuar lendo ‘Eles perguntam pela mãe direto’: Ceará tem 5,6 mil crianças e adolescentes órfãos da Covid-19

O clube dos bilionários sem projeto de país

Fonte: Outras Palavras

Representado pelo influente banqueiro brasileiro Roberto Setubal, expõe nitidamente as raízes do subdesenvolvimento nacional: com arroubos de bom mocismo, elite insiste na precarização e “reformas” – como quem comemora o desemprego

Arte: Willian Gropper

Por Luis Nassif, no GGN

Roberto Setubal é um dos mais influentes banqueiros brasileiros. É de uma família de políticos quatrocentões de participação direta na vida política nacional desde o século 19. É presidente do Conselho do Itaú, maior grupo privado nacional, e liderança inconteste do clube dos bilionários, a elite empresarial paulista integrada pelos empresários supostamente mais modernos e antenados com as grandes tendência globais.

Em outras palavras, é o que de melhor a elite econômica brasileira produziu nas últimas décadas.

Nos Estados Unidos, especialmente a partir da década de 1910, os grandes empresários passaram a buscar um protagonismo político cada vez maior, como condutores de países. A maioria não conseguia sair dos limites de seus próprios interesses nacionais. Mas havia aqueles com responsabilidade de Estado, como J.P.Morgan, que ajudou na reconstrução do sistema financeiro internacional; e Nelson Rockefeller, peça relevante para convencer o grande empresariado a abraçar as lições de solidariedade do New Deal.

Naquele período, um pequeno empresário de Poços de Caldas, João Moreira Salles, mandou uma carta a seu filho Walther, de 15 anos, chamando a atenção para o modelo americano.

Lendo a entrevista de Setubal ao Estadão de domingo, no entanto, percebe-se nitidamente as raízes do subdesenvolvimento nacional. Não pode ser acusado de insensível em relação à situação do país. Os sócios do Itaú doaram R$ 1 bilhão para projetos destinados a enfrentar a crise do Covid-19. O que chama a atenção é a incapacidade de entender o país como um todo.

Na entrevista, ele salienta o fato da renda per capita estar estagnada há 40 anos, com poucos momentos de melhora. Diz ele: “Isto é um desastre do ponto de vista social”. E constata o óbvio: “Não vamos melhorar a renda de pessoas sem crescimento”.

E qual a fórmula de crescimento para impedir o desastre do ponto de vista social? Um choque na economia, uma agenda forte de reformas para aumentar a produtividade e os investimentos, menos Estado etc. Exemplos: “reforma trabalhista que aumente a produtividade”.

Sem contar a enorme falta de imaginação, ao recorrer aos bordões de sempre, é impressionante a incapacidade de olhar além do próprio umbigo, de entender minimamente o que é um projeto de país. É incapaz de entender até um dos principais pontos da teoria econômica, a falácia da composição, segundo a qual o que é válido para a parte pode não ser necessariamente válido para o todo.

Continuar lendo O clube dos bilionários sem projeto de país

Espaço de fortalecimento do controle social assente em informações, estudos, pesquisas e debates que suscitem análises críticas e propositivas quanto as políticas públicas no Ceará e no Brasil.