Frente Nacional na Manifestação dos Funcionários e Usuários do HUPE

Confira a intervenção de Maria Inês Souza Bravo, da Frente Nacional contra a Privatização da Saúde, sobre a privatização do SUS na Manifestação dos Funcionários e Usuários do Hospital Pedro Ernesto – HUPE (clique aqui para saber mais sobre o ato).

Hoje cerca de 100 pessoas, entre residentes, e estudantes de medicina e outros cursos da UERJ fizeram um ato em frente ao Palácio Guanabara.

O ato foi convocado pelos programas de residências do HUPE(Hospital universitário Pedro Ernesto) que se encontram mais uma vez com o pagamento das bolsas atrasado, mas também em defesa da saúde pública e pela garantia das condições mínimas para que o hospital continue funcionando e prestando o serviço á comunidade.

Com gritos e palavras de ordem como “o HUPE é nosso ninguém tira da gente, direito conquistado não se compra e não se vende”, os residentes e estudantes traziam em seus cartazes questionamentos com os gastos bilionários com as obras para as olimpíadas, museu do amanhã, e pagamento da dívida da Supervia, onde o Governo do Estado tem priorizando gastar enquanto a saúde agoniza.

A precarização do HUPE não afeta somente a Faculdade de Medicina da Uerj e os programas de Residencia médicas e multiprofissionais. Pois além do HU ter um importante papel de formação dos trabalhadores da saúde, ele presta atendimento á população.

O não pagamento das trabalhadoras terceirizadas atinge diretamente o funcionamento do serviço. Já que sem a limpeza dos leitos ou lavagem das roupas, o hospital fica impossibilitado de fazer internações. Além disso o hospital apresenta problemas, também, na reposição dos insumos básicos para o atendimento á população, ou procedimentos cirúrgicos.

Ou seja, o funcionamento deficiente e precário do hospital, afeta toda a população do Estado do Rio de janeiro já que antes do começo da crise o HUPE era referência em vários tratamentos e procedimentos que só estão disponíveis ali, deixando milhares de pessoas que necessitam do atendimento desassistida.

Por isso, a importância desta luta pelo HUPE que também é pela saúde pública, gratuita e de qualidade para todos. Pelo não fechamento ou privatização do HUPE! Basta de precarizar a saúde da população! Abertura das contas dos gastos com as olimpíadas e expropriação sem indenização de todas empresas envolvidas no desvio de verba pública! Dinheiro público para saúde pública, educação e para pagar os salários de todos servidores! Basta de trabalhar sem receber, que todo terceirizado que serve ao estado seja efetivado como servidor público, sem necessidade de concurso!

Entre outros pontos, Maria Inês reivindicou:
– Gestão Pública do Sistema Único de Saúde sob o Comando Direto do Estado
– Manutenção do HUPE sob a Administração Direta do Estado
– A criação de um Conselho Participativo do HUPE contra a privatização do Hospital
Postado por: Brenno Soares

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s